03 outubro 2013

Voltei

Se estivesse bêbada agora diria “I don’t wanna be your fuckin’ girls”.

Me lembro que dá ultima vez que parei para escrever algo foi sobre identidade. Três anos se passaram e cá estou no mesmo assunto.
Minha ligação com a moda vem dos sapatos. Sempre gostei dos saltos, mas nunca tive muita paciência em usá-los, mas confesso que nos meus devaneios sexuais mais sórdidos sempre me imagino com eles. Uso-os todos os dias.

Vou pular uma parte cansativa porque estou louca pra dizer que eu a moda é um mercado lucrativo, interessantíssimo e perfeito pra pessoas que sofrem de déficit de atenção –  atualmente. Ela é o quarto maior meio de lucro economicamente falando, me arrisco a dizer  que é um negócio – que meus amigos administradores corrijam – tão seguro quanto a nasdaq. Mas a moda brinca com coisas muito sérias; identidade, satisfação, excesso de consumismo, auto-estima, blá, blá, blá.

Nomeiem como quiserem, lifestyle, swag, outfit... Moda (fashion bussiness) é tudo isso e mais um pouco.
Como toda adolescente, tentei me encaixar em alguns grupos. Como sou curiosa, pesquiso tudo que me dá na telha e olha, cansei. E foi no cansaço que entendi mais ou menos tudo.

É tudo loucura e desnecessário, é uma corrida sem fim, é uma espécie de golden rush da ruína financeira, estética, e psicológica. Me arrisco a dizer que transcendi questões identitárias de encaixe social, abri mão de me abater com críticas negativas, abandonei o medo da vaia do senso comum.

“Olha a maluca de sapatos estranhos”.

“Tá mostrando a bunda!!!” – gritam minhas amigas. E tá mesmo, applause.

Podemos ser uma, duas, três em uma só. Podemos sair de salto hoje e de all star ainda hoje, só que mais tarde. E amanhã de chinelo, porque salto cansa e all star também sufoca. Sim, sabemos nos vestir de maneira elegante, também sabemos nos vestir de maneira básica e façamos isso quando quisermos sim senhor. Sim estamos de jeans, camiseta e sandália rosa berrante, podem nos chamar de baianas, como dizem os paulistas, that’s us on the spotlight.

O alternativo de hoje não é mais o alternativo de antes e não querer seguir a moda é ainda moda, isso se chama contracultura e contracultura é moda, porque moda é um fenômeno sociológico.

Quem me vê não imagina que passei três anos estudando tudo isso, esta bela porcaria. Odeio-a de tanto que a amo. Tentarei encontrá-la na antropologia de maneira bonita e ordinária, como ela é.

Guardarei meus muitos escritos na casa do meu avô como sempre. Adoro tecnologia, mas as pessoas são incrivelmente desfavorecidas de sensibilidade, ainda os mais sensíveis.

Existe uma rede social onde as pessoas costumar expor mais ou menos isso por lá, por meio de fotos, gifs, ou textos. Ele se chama tumbler.

Mas curiosamente, insisto em ainda não entrar nela.



26 abril 2012

Mais desfiles em 2012!



Esta ocorrendo grandes mudanças no calendário da moda nesse país, por conta obviamente, de interesses econômicos e maior viabilidade e visibilidade internacional. É uma espécie de "reforma ortográfica da moda", já que a última foi feita em 1996, e nesse tempo a moda brasileira nem era tão brasileira assim; não tínhamos autonomia na questão de tendências, acredito que nem "identidade" de moda também. Como o Brasil esta muito visualizado internacionalmente e principalmente na moda, estamos exportando identidade, mostrando nosso pais e provando para os gringos que somos um grande mercado e temos plena capacidade de ter nosso nome juntamente com outros países conhecidos pela sua grande produção no mercado fashion, mas acredito que isso possa demorar um tempo, mas estamos engatinhando para isso.
Ao meu ver é interessante mostrar quem somos e o que fazemos no Brasil, o que vestimos e como nos comportamos, pois acredito que moda é esse conjunto todo de ideais e culturas. Todos nós conhecemos o que é feito em Milão, França, NY e Londres e adotamos tudo que é feito nessas capitais da moda, apesar de que com as constantes coleções, suas inspirações são inúmeras e é claro que algumas coleções são inspiradas em outros países e culturas, mas creio que agora é diferente para o Brasil. É um momento propício para mudanças para que podemos aproveitar melhor esse espaço que estamos tendo no presente e tendo-o muito mais no futuro. Nos resta torcer para que essas mudanças sejam feitas da melhor forma possível e aproveitar tudo isso.

As tão comentadas datas são, 11 a 16 de junho SPFW na Fundação Bienal, no Parque Ibirapuera. Rio-à-Porter dia 21 a 24 de Maio no Jockey Club, e Fashion Rio dia 22 a 26 de Maio também no Jockey Club.
Quem vai?

23 abril 2012

Bleached e Acid Jeans

Quem gosta de um look largado? Quem gosta put your hands up! Pois tem a história de que esta rolando por aí um tal de acid jeans e bleached jeans, que são tipos de lavagens de jeans bem descoladas. O acid jeans é lavado irregular, onde em várias partes do tecido há descolorações. Já o bleached jeans tem uma parte totalmente descolorida e outra intacta, e essas partes alternam de acordo com o gosto de quem usa. O legal é que dependendo de onde esta a descoloração, criam efeitos que podem valorizar o corpo de cada um. Nem precisa dizer que esse tipo de jeans é totalmente anos 80 não é?


 Bleached jeans


 Acid jeans


 Acid jeans


Acid jeans


 Acid jeans


 Acid jeans (anos 80)


 Bleached jeans


 Bleached jeans

Aqui na cidade (Rondonópolis) ainda não achei, se alguém souber onde tem nos avise nos comentários. Em outras cidades do Brasil sei que tem na Riachuelo e na Zara, deve ter muito mais em mais lojas e departamentos. Mas dá pra descolorir em casa, sai mais barato e renova peças antigas. Vamos usar?!

22 janeiro 2012

Democracia de verdade.

Se por um lado vivemos num suposto país supostamente democrático, na moda, temos concerteza uma democracia plena.
Nunca se viu antes tanta coisa diferente acontecendo ao mesmo tempo. A moda esta tão diversificada, tão aceitável.
Hoje acabou o SPFW, e semana passada tivemos o Fashion Rio aqui no Brasil. As duas maiores semanas de moda que temos atualmente, e fiquei muito feliz com o que vi. De anos 80/90 sexy, até os vikings. Não vou analisar desfile por desfile e nem marca por marca, creio que todas que estão ali são competentes por estarem naquele espaço, mas vou falar do grande boom que vem acontecendo, desde quando a informação ficou mais acessível a todos. A internet vem facilitando que, pessoas de vários níveis sociais tenham mais facilidade de optar pelo que consome, em todos os sentidos. Tenham opção de escolha, de opinar e de reivindicar. Basta verificar revistas e catálogos de moda antigos, pra depois de 2005 já consigo perceber que cabem em 5 páginas vários estilos e opções, mesmo sendo de um mesmo tema. Em aproximadamente 2001/2002, o que estava em alta era a silhueta anos 20 (especificamente aquela em que a marcação da cintura, ficava abaixo da linha da cintura), só se via essa silhueta em revistas como Capricho e afins. Em 2003/2004, as meias 3/4 coloridas eram o canal, só se via isso nas revistinhas e no dia-a-dia (levem em consideração que nasci em 1990 :P).
Percebo atualmente, o conceito de "tudo pode ser" com muita frequência. Hoje pode-se tudo, não que antes não podia, mas quem usava o que queria a todo tempo, era praticamente excluído de certos grupos sociais. Graças a essa democracia fashion que eu acredito fielmente que esteja acontecendo, pessoas estão podendo ser quem elas realmente são com muito mais segurança que antes, e acho isso o supra sumo da quinta essência. Até que enfim chegamos a esse ponto e espero ansiosa e com medinho, confesso, do que está por vir! Tá esquece o medinho, mas vamos aguardar! Ah, fiquei um tempinho sem postar, mas agora estou de volta. Welcome 2012 para o blog Helen.A!

31 agosto 2011

Recordar é viver, relembre os anos 80

Estou oitentista. Não nasci nos anos 80, não pude viver nele, mas a minha vida toda eu convivi com ele de certa forma, por conta das pessoas que me cercam. Acho o máximo tudo que os anos 80 foi em todos os aspectos sociais e culturais, desprezando toda a negatividade política que envolvia esse tempo e outros acontecimentos, as músicas, a moda dos anos 80 é tuudo de original. Paro pra pensar, as vezes, que os anos 80 foi um ano que construiu coisas que antes a gente nem poderia imaginar, apesar de tudo ser cíclico, essa década foi extremamente ousada em criar/recriar um monte de coisa maluca, e foi muita loucura, segundo os discursos nostálgicos de alguns queridos amigos. To meio oitentista, confesso, e de novo, ando com inspirações que remetem a esse tempo e vou postar algumas imagens legais, principalmente de makes por aqui. Inspirem-se. Transmutem-se. E vamos viver um pouco dessa década louca!
















Não vale pensar em anos 80 sem pensar nas músicas, nos clássicos! Aqui vai algumas:














Não posso também esquecer dos clááássicos nacionais! 












Quem se lembra daqueles cabelos cheios de volume, que era super trend nos anos oitenta?








Não podemos falar muuuito das roupas dos anos 80, porque a moda atual está bastante ligada com ela:









Viajei bastante! Tão bom viver fora da realidade vez ou outra! 

30 agosto 2011

Cropped! Barriga de fora!

Nada de torcer o nariz, você pessoa que leu o enunciado e disse, barriga de fora? Eu não posso!!! Ahá, você pode!







A Grazy usando uma cropped e um tamanco, que também promete voltar com tudo.



Tá uma onda esse negócio de barriga de fora, e olha, eu gosto, cada blusinha linda que tem por aí.
Motivos para usar:
1- Você pode comprar uma, muito fácil, mas se pra você tá difícil, basta pegar uma camiseta velha que tenha enjoado, daquelas que ficam encostadas no guarda-roupas a um tempão e customizar, fica show e você recicla, economiza no bolso e no meio ambiente.
2 - Você que não está "magrinha", que está acima do peso, existe uma pessoinha mais do que bacana que dá a real e a dica, você PODE SIM usar uma blusa cropped, tenho a honra de colocar o link aqui Entre topetes e vinis do blog da Ju Romano.
3- Quem é de Mato Grosso, agradece, por que o calor tá insuportável e super suporta esse tipo de blusa!

Mas olha só pessoas, esse tipo de blusa foi o must dos anos 80/90, e se vocês pesquisarem, irão ver imagens de pessoas usando uma cropped, mas de umbigo de fora... Não dá não é? A diferença da volta dessa blusa, é justamente essa; é legal usar com uma calça, blusa ou short de cós alto, tornado o look mais elegante e longe de se tornar pesado pra quem não tem o costume de mostrar o umbigo, já que a moda não tem dando muitos indícios de barriga de fora dessa maneira ultimamente. (Mas se você se sente bem usando roupas com o umbigo de fora, porque não? Afinal, a moda é a gente quem faz).




















Com esse inverno com cara de verão, nada mais conveniente, quem gostou do style, adote!

Té!

27 agosto 2011

Lábios roxinhos!

Algumas coisas me deixam muito feliz durante a minha semana: as palhaçadas do meu amor, os telefones do meu pai, meus amigos, aulas interessantes, eventos acadêmicos interessantes... Mas o batom uva que eu comprei e que chegou bem rapidinho me deixou mais feliz ainda, não é Cláudia?(fiquei impressionada com a rapidez do meu pedido que chegou). Mas vou falar um pouquinho dessa vibe roxa que anda rolando pelo mundo da moda afora. Visito inúmeros blogs diariamente, perco um tempinho com eles e ultimamente ando vendo muito batom roxo, violeta, lilás, vinho... Mas o mais legal é que antes de ler e ver coisas a respeito, eu andava com pensamentos de "roxo", de repente eu vi na revista da natura a coleção Natura Faces de batom com a nova linha Pop e vi lá um roxinho resplandecente, gostei e pedi, loguinho chegou. Fiquei surpresa porque eu andava pensando em cores novas que pudessem acrescentar na questão da maquiagem e pude então me comparar com essa vibe roxinha pelos blogs.
Meninas e meninos, as coisas se alegram mais com essa cor, não é mesmo? Eu aaaamo roxo desde pequena, acho uma cor alegre, do bem e ao mesmo tempo meio maléfica (nem amo!).












 

                                                                             

Vejam aí algumas imagens e inspirem-se, vamos colorir o universo da gente com cores! Seja ela roxa ou não, mas se for de roxo, saiba que vai super bem!

16 agosto 2011

Sobre estilo e moda

No caminho pra casa, depois da faculdade, meu pensamento permeia em vários segmentos, um deles é a discussão entre moda e estilo. Muita gente confunde um pouco as coisas, outras resolvem, outras se contradizem... Eu mesma me pego discutindo sobre isso, sozinha é claro.
O que é moda? O que é estilo? Até que ponto eles se misturam? Onde eles se separam... Ou será que eles caminham juntos? Separadinhos? Tão difícil.
Penso: tal pessoa é estilosa, mas será que ela "está na moda"? Tal pessoa "tá na moda", mas será que ela é estilosa?
Todos os meus estudos e pesquisas sobre o assunto me dizem muitas coisas, mas cada vez que os leio eu termino com perguntas. Não me permiti colocar definições de autores e enciclopédias por aqui, porque não é meu objetivo, fica um pouco distante, torna-se incomum. Acredito que moda é uma coisa e estilo é outra. Tem horas que eles andam juntos, tem horas que eles brigam.
Como havia dito, tem gente que anda na moda, mas não tem estilo definido, e mesmo que tente fazer algo "sem identidade" pra tentar fazer um "estilo", acaba ficando desconexo, impessoal. Tem gente que tem estilo, mas não está usando o que a moda está ditando no momento, eu prefiro ficar do ladinho desse aqui, porque identidade, é identidade! E vale a pena falar também que tem gente que não é nem uma coisa, nem outra; fala que não se importa, mas como eu disse, identidade é identidade. É tão hipócrita quem diz que não gosta de moda, que não dá a mínima. É loucura. Você se veste, caramba! Não dá pra fugir...
Eu gosto de estudar estilos, principalmente estilos de outros países no tempo atual, ando encontrando onde pesquisar isso pessoalmente e na internet, é produtivo. Acabo descobrindo que cada vez mais as pessoas estão se vestindo da mesma maneira, mesmo que com estilos diferentes, de outros países e de classes sociais diferente (verdade, eu encontrei isso), sempre tem algo ali que tem intertexto, que faz ligação, mesmo que esse detalhe seja mínimo.
Eu fico impressionada, sou apaixonada, quando eu vejo o quanto a moda está cada vez mais fazendo parte da vida das pessoas, pessoas que antes não se ligavam com isso e que agora, a moda se torna mais interessante na vida delas, mais presente. Tá caindo a ficha de que moda não tem nada a ver com muita grana, e ao mesmo tempo tem... A realidade é essa, e é isso aí. É uma questão de escolha!
E eu nem sei mais do que estava falando.
Fiquem a vontade para expressarem as suas oponiões!

06 agosto 2011

Eu agora não saio do Lookbook

Estou encantada com o lookbook.nu. Tudo que eu queria pesquisar de estilos diferenciados eu encontro lá, pois através dessa rede social, eu tenho a possibilidade de observar os estilos de diferentes pessoas, de diferentes países, e além disso, fazer alguns web friends pelo mundo a fora.
Minha diversão nas horas vagas é ficar observando as fotos, analisando e aprendendo...
Posso afirmar que pra quem estuda moda, assim como eu, é um prato cheio e saborosíssimo. Fiz uma conta e tals, mas ainda não postei nada, minha missão por lá por enquanto é de observadora! Mas logo, logo posso colocar alguma coisinha, assim que eu tiver uma boa câmera ($)!
Pra quem não conhece o lookbook.nu e gosta de fotografias de moda, visitem e quem quiser, pode entrar que assino embaixo. É uma prática ferramenta, ele é em Língua Inglesa, mas quem conhece ao menos do básico não fica perdido.
Coloquei algumas fotos de algumas pessoas que eu sigo e troco ideias de vez em quando, pra vocês terem ao menos uma noção de como são as fotografias que as pessoas postam. Deliciem-se, moda é todo dia.

       Imogem De Souza, Londres



Lida D. Zurich/Toronto

Gabriel W. Sttutgart

                                                                                             Mark C.

                            Tamara G. Polônia

                                          Sheila, México
                       
                                    Margareth, Warsaw

Moda é toda hora, é a gente.
Té!

01 julho 2011

Bibliografias de Moda

Fiquei muito feliz com uns livros que ganhei e vou contar porque.
Uma das coisas que sempre me queixei se falando de moda, é a questão de que faltam bibliografias que tratem de moda de uma forma mais científica. Sim, científica, e porquê não? Moda é linguagem, é comunicação. Nada mais interessante que se façam estudos, e muitos estudos sobre esse assunto.
 Moda precisa ser algo que remete a todos, então fiquei muito feliz com esses dois livros, um em especial que se chama "Sociologia da Moda" de Fredéric Godart, que trata justamente da história de moda e sociedade como a própria capa diz, num termo denominado de "fashionology". E o outra trata de modelagem, cortes e detalhes essenciais para que se faça uma ótimo desfile, por exemplo.


Ta aí, como ainda estou lendo não dá pra divagar muito, depois que eu ler os dois eu retomo aqui.
Beijos!

*Sociologia da Moda. GODART, Fredéric. Ed. Senac São Paulo.
*Fundamentos de Design de Moda - Construção de Vestuário. FISCHER, Anette. Ed. Bookman.